Mãe pede justiça contra homem que matou a filha dela em Ponte Nova ~ Plantão Policial

Mãe pede justiça contra homem que matou a filha dela em Ponte Nova


Ponte Nova (MG) – Já está no presídio de Ponte Nova, o homem que invadiu a casa da ex-sogra e matou a ex-mulher com vários tiros no início desta semana. Carlos Alexandre do Carmo foi preso em casa, horas depois de cometer o “feminicídio”.
No primeiro depoimento que prestou à polícia civil, ele assumiu a autoria do assassinato e disse que jamais iria aceitar o fim do relacionamento. Carlos disse ainda, que já vinha planejando matar a ex-companheira, Patrícia Riqueira Roberto da Cruz, que trabalhava como caixa em um supermercado de Ponte de Nova.
Ele contou também que demorou para matar Patrícia por que ela quase não saía de casa e que por isso, estava tendo dificuldades para encontrá-la e decidiu invadir a casa da ex-sogra.
O trocador de ônibus alegou que não aceitava ser abandonado e que Patrícia saiu de casa, voltando para residência da mãe por que ela teria descoberto uma traição por parte dele. O casal viveu junto por 10 anos.
Durante 8 anos, patrícia se dedicou ao companheiro exclusivamente, mas há dois anos, quando o casal teve um filho, Patrícia precisou dividir o tempo entre o companheiro e o filho e Carlos não aceitava isso. Apesar de nunca ter maltratado a criança, Carlos sempre reclamava em casa que estava sendo colocado em segundo plano e que Patrícia precisava dar mais atenção a ele.
Para evitar ter problemas, Patrícia procurava deixar tudo em ordem, café da manhã, almoço, jantar, roupas limpas, todos os afazeres da dona casa eram cumpridos rigorosamente e mesmo assim, Carlos não estava satisfeito. No dia do homicídio, Carlos pulou o muro da casa da ex-sogra, teve acesso ao quintal e foi direto para a sala do imóvel onde encontrou um cunhado assistindo televisão.
Thiago, irmão de Patrícia, ainda tentou evitar que Carlos tivesse acesso ao quarto onde ela dormia com o filho de 2 anos, mas Carlos estava armado e ameaçou a família. Ele então entrou no quarto e disse que precisava conversar com a ex-mulher do lado de fora da residência. Patrícia teria tentado evitar sair, com medo do que pudesse acontecer, mas foi ameaçada.
Os dois, então, foram até a cozinha da casa, onde Carlos começou a puxar Patrícia pelo cabelo até a rua. Do lado de fora, ele obrigou a ex-companheira a entrar no carro e sem dizer nada, sacou o revólver calibre 38 e disparou 6 vezes.
Em seguida, Carlos jogou a mulher na rua e voltou para casa, onde foi preso mais tarde.
Patrícia ainda chegou a ser socorrida por alguns vizinhos, mas morreu a caminho do hospital.
Essa semana, dona Neide de Assis, mãe de Patrícia e o irmão dela, Thiago de Assis, encaminharam um vídeo para o programa Cidade Alerta, da Record TV, e para o Portal Caparaó contando como a família está depois do homicídio e pedindo justiça. Carlos segue no presídio de Ponte Nova e vai julgamento na cadeia.
Ele vai responder processo por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e por não dar direito de defesa a vitima.
Aguiar Júnior / Record TV - Governador Valadares/Portal Caparaó de Manhuaçu
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário